top of page

Qual estilo de Yoga é o Shivam Yoga?

Atualizado: 7 de out. de 2022

Essa é uma pergunta muito oportuna pois atualmente temos diferentes escolas de Yoga, e o aluno pode se sentir confuso em relação à nossa prática.


Eu, Karine, me formei na escola Shivam Yoga com o mestre Arnaldo de Almeida.


Essa escola tem suas bases filosóficas o Samkya e o Tantra. Algumas características dessa escola são:

- Trabalha com o ser humano como um todo, ou seja, trabalha com os centros de energia (Chakras) e busca harmonizar e desenvolver os diferentes níveis (corpos) que constituem o ser humano: nível físico, energético, emocional, mental, intuicional e espiritual.

- Trabalha com variadas técnicas, integrando os processos físicos, energéticos, emocionais, mentais e espirituais.

- Busca atingir o Samadhi (iluminação) a partir da integração do físico com o espiritual.

- Busca unir o ser humano consigo mesmo, com a natureza, com o Cosmo.

- Adota uma via afirmativa, não negando o eu/ ego/ personalidade, não negando o corpo, os desejos, os anseios e o mundo fenomênico.

- Quem pratica essa linha de Yoga deve vivenciar uma vida sem culpas, medos ou inseguranças, mergulhando no mundo fenomênico de forma consciente, prazerosa e feliz.

- Palavras chave: autoconhecimento, consciência, autodomínio, autocontrole, imersão, integração, união, responsabilidade, força, energia, poder, alegria, prazer, felicidade, ética.

- Foco: Transformação Pessoal


Algo muito interessante na nossa prática é que não utilizamos "bengalas", ou seja, não utilizamos apetrechos para "facilitar" a execução das técnicas.


Segundo o Samkhya (filosofia antiga da Índia) e o Yoga Tradicional Indiano, agem no Universo continuamente três campos energéticos: Tamas (energia da inércia), Rajas (energia do movimento) e Sattva (energia do equilíbrio), sendo que Tamas (energia da inércia) está sempre em ação, criando campos de estagnação energética. Se nos deixarmos imergir nesse campo de inércia (Tamas), teremos dificuldades por exemplo, de nos movimentar, tendendo a comportamentos moldados pela preguiça. Segundo a nossa visão, os apetrechos/ aparelhos usados funcionam como bengalas, pois os aparelhos fazem os movimentos, não ocorrendo então qualquer processo de auto conquista e autodomínio e, muito menos, de autoconhecimento.


A base do Yoga antigo da Índia é justamente potencializar o autoconhecimento e a consciência do ser humano através do despertar de sua força interior para que ele consiga superar os seus obstáculos por si mesmo, com sua própria fora, energia e poder, sabedoria e discernimento.


Os Asanas, exercícios que envolvem técnicas de alongamento, flexibilidade, força e equilíbrio, em nosso método, são trabalhados de forma intensa, sema a ajuda de qualquer aparelho. Apenas há as orientações precisas dos instrutores. Trabalhamos com uma gradação de domínio: exercícios da fase fácil de domínio, fase média de domínio, fase avançada e fase muito avançada. Antes de sua execução, ministram-se técnicas de concentração, transmissão de energia e de respiração, para que o praticante possa melhor se trabalhar nos referidos Asanas.


Cada praticante vai gradativamente se desenvolvendo, vai conquistando fase a fase cada exercício, tendo suas capacidades de alongamento, flexibilidade, força e equilíbrio sendo exercitadas a cada prática sem nenhuma ajuda externa. A ferramenta utilizada por nós é muito eficaz em todo o processo: o autoconhecimento.


Dessa forma, como no Yoga Antigo da Índia, vamos nos trabalhar, nos observar, nos conhecer e ampliarmos nosso domínio físico e psíquico, fortalecendo principalmente, nosso potencial espiritual. Como resultado de todo esse processo de afirmação de nós mesmos, brotarão em nosso interior a alegria e a felicidade, e um profundo sentimento de realização e de cumprimento de nossos Dharmas.


Texto mestre Arnaldo de Almeida




Posts recentes

Ver tudo
bottom of page